16 de março de 2017

Os 83 ladrões do Dr. Janot não têm chefe

Título Texto

12 de dezembro de 2016

O (suposto) CASO DO TRIPLEX: Depoimento de Enga. Mariuza Marques na ação contra Lula

No depoimento da Engenheira Mariuza ao juízo Sérgio Moro neste dia 12 de dezembro de 2016 ficam claras algumas coisas.

  1. diversas induções do representante do Ministério Público, dando uma, duas ou três opções para a testemunha escolher. Na verdade deveria ter feito perguntas de modo a testemunha ter a liberdade de responder em função dos fatos vividos pela mesma. Foram reiteradas vezes esse "modus operandis" da Promotoria.
  2. a Enga. Mariuza afirmou claramente numa das respostas à Promotoria que Lula e sua esposa eram potenciais compradores, tendo feito na presença de Mariuza uma única visita ao imóvel referido como Triplex do Guarujá. Posteriormente em função de diversas induções feitas pelo Promotor a Enga. Mariuza confunde-se e diz achar que Lula e esposa teriam pedido uma reforma na unidade do Guarujá pela comentário que a esposa de Lula teria feito na visita única feita ao imóvel: "- está ficando bom..."
  3. os advogados de defesa de Luis Inácio Lula fizeram diversas objeções ao modo de funcionamento das perguntas do Promotor o que provocou a intervenção do Juiz Moro indeferindo as questões da defesa de Lula e inclusive ele próprio (Juiz Moro) fazendo uma das perguntas (da Promotoria) à testemunha.
  4. o juiz Sérgio Moro alterou seu ânimo quando de sua intervenção exigindo respeito de um dos advogados de defesa de Lula à função dele no processo, ao que o advogado também exigiu respeito a ele (advogado) enquanto defensor no processo. Retrucou que o Juiz fazia ali a ação de um acusador e não de juiz. Passado esse climão a arguição retomou seu curso.
  5. um dos advogados de Lula, embora tenha feito perguntas objetivas e com margem de liberdade de respostas à testemunha, também fez uma indução numa de suas perguntas no caso de saber se um Boletim de Vistoria não havia sido assinado, quando ele deveria perguntar o que haveria sucedido após a confecção do Boletim de Vistoria.
Esta é a leitura que faço da audição do depoimento da Engenheira. Restou que nenhuma prova plausível ficou deste depoimento. E clara foi a indução do Ministério Público em suas questões e cristalina foi a irritação do Juiz Moro (que deveria ser imparcial) quando enfrenta advogados que argumentam sobre seus excessos judiciais.

Mas não creiam no que eu digo, assistam os vídeos, gastem 31min e 35s mais 20min e 42s para terem o seu juízo. Desliguem a televisão e liguem seus cérebros ou Liguem a TV em algo que não anestesie seus cérebros.

Depoimento de Mariuza Marques na ação contra Lula - parte 1

Depoimento de Mariuza Marques na ação contra Lula - parte 2

Fonte: Vídeos do Canal do Youtube NúcleoMultimídia Estadão

5 de dezembro de 2016

O INATACÁVEL MORO E O ATACADO CERVERÓ - entrelinhas de um depoimento em vídeo

No vídeo pode-se ver toda a truculência exercida por um Magistrado em seu poleiro de poder, a sua Vara Judicial. Embora tenha sido feito há mais de ano, é bom rever e reler para que não se caia no engôdo dessa justiça ligeira e com foco único.
Por mais que tente pedir licença e direito a palavra não é permitido ao acusado defender-se adequadamente. Revelada prisão feita com base em denúncia de periódico semanal sob a qual Polícia Federal e Ministério público agem.
Agem baseado em palavras improváveis de uma revista dedicada ao dedurismo atávico, desde suas primeiras edições.
O Juiz cede a palavra ao réu. O réu argumenta. O Juiz não contra-argumenta, só diz que após a emissão da sentença é que vai apreciar o que disse o réu. Após a sentença não existe apreciação, existe cumprimento de pena.
E assim age o ''inatacável'' Moro. Batendo nos dedos da Justiça, fustigando a quem ouse atravessar seu caminho daquilo que ele chama de jusstiça. Nela, bandidos como doleiros vão pra casa com tornozeleira e presos sem acusação mofam e se amofinam no xilindró.


Cerveró faz esforço pra enfrentar Moro


Publicado em 7 de mai de 2015
CERVERÓ ENFRENTA MORO: “NENHUMA ACUSAÇÃO QUE O SR. FEZ FOI PROVADA”
Canal de Ernandes Mendonça
https://www.youtube.com/channel/UCCPdoGZxP9ccwHoh1oZZShA

2 de dezembro de 2016

ENTRE NÓS

Uma bela cantoria
foi o que se ouviu ontem no Circo da Funcart

O amigo e colega da UEL(OSUEL), Flávio Collins, misturado muito bem a uma bela troupe de cantores-atores apresentaram o GRANDE CIRCO MÍSTICO.
Dos mestres Chico Buarque e Edu Lobo.
O grupo vocal ENTRE NÓS apresentou de início um tanto quanto nervoso, vozes acanhadas, a partir da 3a. música toda a qualidade de cena e voz começou a aparecer. Afinação, ritmo, conjunto, tudo ladeado e muito bem sonorizado pelo trio de contrabaixo, bateria e piano, ao velho estilo década de 50-60.
A coroação veio na última música mantendo as qualidades anteriores e acrescida de grande volume vocal próprio. Só quem se apresentou a capela sabe as dificuldades de projeção vocal num local que a acústica não é completamente boa.
Seguem duas amostras do trabalho do ENTRE NÓS.

Jura Sinhô
https://youtu.be/ElBd_69BTLc

Missa Brevis, Mozzart - Flavio Collins na Regência
https://youtu.be/FSrXVBAtLoY

Falar nisso o CIRCO FUNCART precisa ajuda para restaurar, reformar seu espaço.
Vamos ajudar já que o Município parece não está a fazer o suficiente.
Ação entre amigos ao alcance digital

https://www.facebook.com/funcartlondrina/?fref=ts

Agora para encerrar minha estada em Londrina falta assistir Silvia "Araci" Borba e seu show Araça, arquiduquesa do encantado

https://www.facebook.com/Araca-Arquiduquesa-do-Encantado-1692040837680249/?fref=ts

até depois.


14 de junho de 2016

O confuso Moro

Olha só, o Moro [aquele juiz de Curitiba, da Ré-pública de lá] falou e disse que a investigação sobre o sítio atribuído a Luís Inácio era para correr em segredo de justiça. Mas por um ''inadvertido'' qualquer ela apareceu. Vazou. Aí o atento juiz faz uma nova ordem dizendo que é para correr em segredo, inclusive a decisão dele sobre o segredo. Daí... advinha? VAZA. Já que vazou mesmo, deixa essa investigação arreganhada. Não precisa mais fazer segredo, pois forças inadvertidas não deixam o valente, intrépido e sagaz juiz sem Honoris Causa guardar segredo. São forças maiores que ele. Ele é apenas Apolo e essas forças intrometidas, Zeus. Ele tem que ser humilde e reconhecer que contra coisas inadvertidas não dá pra lutar. Ele tenta, ele se esforça, mas teimam em prejudicá-lo.

óóó que pena... como ele erra... se confunde... é segredo... não é... aí é segredo do segredo... também não é.... ah, agora que tá aberto, deixa escancarado... ó Moro que pena que vc é confusozinho. É que ele tá começando. Vamos esperar pra ver até o final. Talvez ele consiga derrotar as pessoas más que deixam o segredo tão cheio de furos.

Não contavam com a astúcia do ''inadvertidamente'' contra a sagacidade de Moro Lava-Jato.
Quem vencerá? O Inadvertido ou o Entendo*?

Mas não acredite em mim, veja a matéria a seguir

http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/216493/Divulga%C3%A7%C3%A3o-de-inqu%C3%A9rito-sobre-s%C3%ADtio-foi-'equ%C3%ADvoco'-diz-Moro.htm


*Significado de Moro: compreendo; enraízo; entendo; estancio; habito; resido.

2 de novembro de 2015

DILMA, pede pra sair!

É o que diz a revista francesa Le Point, em outras palavras.

Revista francesa diz que saí da de Dilma é necessária para a recuperação do país (sic!)

Mas de onde fala Le point, em seu editorial de 01 de novembro de 2015?
É uma revista surgida no início da década de 70, numa espécie de racha do L'Express, sendo de orientação conservadora e de centro direita. Não é muito diferente da orientação atual do PT e seus coligados, mas falam de um lugar mais tradicionalmente liberal e que têm um visão do PT e coligados como socialistas, comunistas e outros apelidos do tipo que teriam a ver com a história referencial do PT (porém não de 1991 pra cá).

O artigo redigido por Nicolas Baverez (nada menos liberal do que Le point) critica desde os Jogos Olímpicos como um possível símbolo de falência do País e que seriam usados para demonstrar o 'milagre econômico brasileiro'... mal sabe ele que a Copa Mundial de Futebol já foi utilizada pra isso; e sua crítica se estende até a crise da Petrobrás (atribuindo ao PT ganhos escusos com a verba da companhia), passando pela queda no PIB do Brasil sem, contudo fazer referência ao que acontece com o mesmo índice em outros países.

O curioso é que ao mesmo tempo em Porto Alegre, dia 30 de outubro, o FHC, Fernando II e último, dava conselhos semelhantes à Dilma, dizendo que ela OU "assume e chama o País às falas, apresenta um caminho crível para o País e recupera a força para poder governar, OU então ela pelo menos deixa uma marca forte" e aqui Fernando II e último aconselha a Presidente a sair do governo em troca de reformas político-partidárias e na previdência, afirmou o ex-presidente tucano, em entrevista à Rádio Gaúcha, do Grupo RBS, do alto sua sabedoria retórica. (fonte: altamiroborges)

Não sei exatamente das ligações de Fernando II com Nicolas Baverez, mas que é uma fala bem coincidente, isso é. Uma suspeita de um velho gaúcho desconfiado.

O PIB brasileiro (fonte: Folha UOL)

O que não fala o conselheiro francês sobre o PIB: (veja tabela abaixo)

  1. Que em 2009, pós quebra de 2008, ele foi -0,2%
  2. Que os 2,7% de hoje representam uma recuperação em relação a 2009 de 2,9%
  3. Que em relação à injeção chinesa pós 2009 e o fenômeno de crescimento em 2010, os 2,7 de 2013 significam uma queda de 4,9%
  4. Que após o tranco pra baixo de 2011 teve uma recuperação de 1,0% para 2,7, quase triplicando o PIB em 2012 e 2013
  5. Que a média da série histórica foi igual a 3,5% e o desvio padrão* foi 2,2%, com picos de -0,2 e 7,6
  6. Portanto os 2,7 verificados em 2013 não estão longe da média nem do desvio padrão, não muito longe é verdade, mas abaixo da média o que sem a injeção chinesa de recursos ficou um tanto difícil de atingir
  7. Que entre 2008 e 2010 houve um crescimento de 2,6% também pouco abaixo da média e pouco acima do desvio padrão
  8. Se excluirmos os anos de pico (2004, 2007 e 2010) a média fica em 2,6, não muito longe dos dados de 2013
  9. Sem falar no PIB da França e outros países Não-emergentes, mas isto é outra história
Portanto o conselheiro francês da Presidente, aliado coincidentemente ao conselheiro brasileiro, Fernando II, omitem informações importantes para todos nós e jogam l'essence sur le feu para tentar queimar a bruxa guerrilheira.

Tá certo que teremos de votar em qualquer pangaré do PT e coligados para vencer qualquer garanhão ou égua matriz e evitar que a supra elite brasileira e especulativa volte a se adonar do país e também para em paralelo salvarmos aquilo que o PT e seus coligados ajudaram a queimar desde 1991, nossa luta pela emancipação da classe trabalhadora, mas não escondam a verdade... a mentira tem pernas curtas, é manca e tem rastro de cobra.
*o desvio padrão mede a variabilidade em torno da média, ou seja, quanto estão afastados determinados valores em relação à média, para mais ou para menos



QUEM DIRIA... EM DEFESA DE ZECA CAMARGO !

Em relação à notícia:

http://diariogaucho.clicrbs.com.br/rs/dia-a-dia/noticia/2015/07/familia-de-cristiano-araujo-abre-processo-contra-zeca-camargo-4805503.html

Desde quando emitir opinião sobre gosto musical causa "danos morais"?
Não tenho idéia exata mas creio que pra muita gente que não segue televisão diariamente ou os breganejos universitários, ele era um ilustre desconhecido.
E ainda mais absurdo, a advogada pede que "nunca mais emitir opiniões preconceituosas sobre a cultura e a música sertanejas, sob pena de multa de R$ 50 mil"... Já pensou? Censura prévia. Mas a rigor o Zeca Camargo não ofendeu a cultura e música sertanejas, afinal não disse nada que ofendesse a Almir Sater, Sérgio Reis, Tonico e Tinoco (caipiras), Leandro e Leonardo, Vitor e Leo (estes, inegavelmente, conhecidos), por exemplo.

Até os que conheciam o cantor de 'sertanejo universitário' se surpreenderam pelo tempo dedicado na TV à morte do rapaz. No dia da morte foram umas 6 horas de programação quase sem interrupção, logo após o programa Cidade Alerta (Marcelo Rezende). Teria sido matéria paga ou falta de assunto policial para transmitir? Ficou a dúvida, mas que foi excessivo foi, bastariam 'flashes' sobre o assunto como rotineiramente fazem as TVs.

9 de outubro de 2006

Juiz proíbe leilão da Usina de Mauá da Serra

A luta empreendida pela Frente de Proteção do rio Tibagi teve mais um sucesso. O juiz federal Oscar Alberto Mezzaroba Tomazoni decidiu ontem excluir a Usina Hidrelétrica (UHE) de Mauá da Serra do lote de unidades a serem leiloadas e construídas em todo o País no próximo dia 10 de outubro. O pedido foi do Ministério Público Federal (MPF), baseado em investigações de pesquisadores e ambientalistas contrários à UHE de Mauá no Rio Tibagi, na região de Telêmaco Borba. Parabéns principalmente aos líderes dessa etapa da luta: Tom Grando [Liga Ambiental e Frente de proteção do rio Tibagi], Prof.a Sirlei Beneman, Prof.a Maria Josefa Yabe e Promotor João Akira Omoto. O próximo e grande capítulo agora é discutirmos a POLÍTICA ENERGÉTICA DO PAÍS. Quem se opõe? Quem é a favor? Notícia em: Jornal de Londrina, quinta, 05 de outubro. Veja no link do título.

Ainda sobre o 11 de setembro...

Caros, Há exatos 05 anos ocorreu o ataque às torres gêmeas nos EUA, e a vários outros símbolos representativos da potência política, econômica e bélica americana... Até hoje desconhecemos a verdade sobre tais ataques (inclusive o povo da América do Norte). Bin Laden e a Al Qaeda são apontados como os responsáveis diretos e uma imensa devastação sobre o Iraque foi realizada com o pretexto de encontrar os "terroristas". Sob o pretexto de libertação do Iraqe, do Governo de Sadam Hussaim, sob o pretexto de que Bin Laden estaria escondido naqueles territórios, ou que Sadam e Bin Laden estariam associados, ou que haviam armas químicas e atômicas no território iraquiano, o exército americano invadiu aquele país... Nada sabemos do que se passa... A grande mídia isola o assunto... Parece que tudo está resolvido... Por puro acaso, peguei "FAHRENHEIT - 11 de setembro...", o documentário de Michael Moore, para ver este fim de semana... Para além do fato de tratar-se de um liberal, para além de tratar-se de uma denúncia quanto à ilegitimidade do governo Bush - portanto de problemas internos aos EUA, de uma cobrança a Busch e uma denúncia quanto aos interesses diretos daquele presidente na invasão do Iraque, trata-se de um documentário com contribuição primorosa para a compreensão das relações "sociedade civil" - Estado nos EUA nos últimos anos. Neste documentário Michael Morre expõe os flancos da guerra do Iraque: a farsa das armas químicas; a decepção dos soldados americanos ante a farsa da "defesa da pátria" e a constatação de que foram usados pelos interessados no petróleo iraquiano; os abusos sexuais; o atentado à liberdade e aos direitos civis dos iraquianos; a estruura de recrutamento de norteamericanos entre adolescentes latinos, negros, desempregados e pobres, com aparelhamento dos órgãos de justiça para a imposição da ida à guerra como pena alternativa; as batidas que prendem milhares de homens sem qualquer possibilidade de identificação dos prisioneiros pela barreira da língua; o ódio que se instala. Propondo retomar a ideologia da liberdade americanista, bem como recuperar o povo norteamericano da letargia que o abate desde o 11 de setembro e a constatação da fragilidade de suas defesas, Moore denuncia a farsa das eleições de Busch Filho (com o impedimento de voto de milhares de cidadãos, predominantemente afro-descendentes); os tentáculos dos Busch no similar "Supremo Tribunal Eleitoral" daquele país, no Estado e na Imprensa; o desprezo de Busch Filho pela gestão da coisa pública; o corte das verbas públicas para a segurança nacional; as ligações da família Busch com os Bin Laden e os grandes conglomerados petrolíferos norteamericanos pertencentes, inclusive, aos Bush, numa clara denúncia dos vínculos entre política de Estado e interesses corporativos capitalistas. Em contraponto com o americanismo, o filme de Morre permite demonstrar a distância entre as grandes produções holyoodianas (meio de construção de hegemonia) e a vida real no país, atolado na corrupção e na inércia de seus dirigentes e de sua população. Trechos do documentário são chocantes, como os "extras" que demonstram a construção da invasão iraquiana como uma ação holyhoodiana (ou um mero game) com direito a tema musical metaleiro que diz, como trilha sonora das ações das tropas nos tanques, "tomem o que merecem", enquanto disparam suas metralhadoras contra o povo. Ou a não exibição das imagens do ataque, num evidente esforço de apagar da memória dos norteamericanos a derrota no próprio território. Para além do culto pesonalista a Moore como o herói americano, o documento expõe a farsa do liberalismo, convertendo-se num importantíssimos recurso pedagógico para a análise do modus operandi do Capital. Ao final do documentário, resta-nos uma questão: afinal, o ataque às torres gêmeas foi de ordem política ou uma ação de mercenários custeados pelos interesses econômicos? Neste 11 de setembro, recomendo a todos ver: FAHRENHEIT - 11 de setembro... (O documentário). Elza Peixoto Referência: MOORE, Michael. FAHRENHEIT - 11 de setembro... (Edição Especial). Europa Filmes. Lançamento Março de 2005.

O Comitê Solidário deu-se Mal barbaridade!

O comitê solidário da Rua Montese, 67, Londrina, que abrigava material do PT [de Flavio Arns] e do PMDB [de Aldair Rizzi] deu-se mal. Os candidatos que tinham um boa parte do material por lá, Gleisi, Gláudio [atual vereador do PT-Londrina] e Aldair Rizzi [o secretário "bom prá nós"] ficaram pelo caminho. Com um Comitê destes, quem precisa de candidato a Governador? O Flávio Arns percebeu ou ragiu tardiamente ao golpe de seus companheiros [?] e disse que para o 2o. turno vai pensar. Basta ser candidato-laranja uma vez, insistir no erro é... desumano.